Voltar

Vinil Burger

Finalmente fomos conhecer a tão festejada Vinil Burger! Foram muitas e muitas indicações, mas sabe aquele lugar que passamos na frente mas nunca dá tempo de parar? Então, este era o Vinil, até que numa bela noite de janeiro, finalmente fomos diretamente pra ele.

03

Escolhemos um dia “punk” para testar o lugar, sexta-feira à noite de verão, calor, todo mundo na rua, ainda mais naquela região (Pinheiros/Vila Madalena). Pois bem, fomos num dia tão punk que realmente as impressões não foram muito positivas.

O processo de se pedir qualquer coisa no lugar lotado é muito difícil, tem que querer muito comer lá! Por sorte, muita sorte mesmo, pegamos uma mesa do lado de fora, senão provavelmente teríamos desistido. Queríamos pegar uma cerveja antes de pedir os lanches, mas vimos que seria impossível, pois pra qualquer coisa que você queira pedir, tem que enfrentar uma fila demorada num lugar extremamente apertado.

Sabemos que a proposta é ser quase um self-service, estilo bem rápido e descontraído, mas talvez funcione numa terça-feira sem pretensões, na sexta à noite parece que estamos implorando pra comer no lugar.

Destaque para a vitrine com o “disco” de burgers ao carvão.

02

Mas ok, encaramos a fila, o desconforto e o lugar apertado para pedir os burgers, o cardápio é bem enxuto onde você escolhe o ponto da carne, o pão clássico ou com gergelim e os complementos são alface, tomate, cebola desidratada ou caramelizada, picles e bacon. Os queijos são prato, mussarela, cheddar e provolone – PROCESSADOS! (atualização, desde o dia 22/01/2015 o Vinil passou a usar queijo prato natural)

01

Péééééééééé… ponto fraco pesado identificado aqui. É tipo aquele queijo que você compra no saquinho no supermercado, que vem 10, e não adianta o quanto você queira derretê-los que eles continuam iguais, estranho.

11

Se você escolher colocar todos os ingredientes no seu burger, sai por R$ 19,00, ponto positivo para o preço! Mesmo que você retire algum ingrediente, o preço continua o mesmo.

Quem conhece a receita caseira do Hambúrguer Perfeito, elaborada por nós, sabe que somos fãs de cebola caramelizada (no caso, fazemos na manteiga com shoyu) o mesmo esquema do Vinil, mas olha só como eles deixam a cebola, fica lá, parada, por um booooom tempo, ou seja, não conseguimos pedir.

04

Tá muito feia, né não? Preferimos deixar pra lá, parece um mar de sebo. Mas veja quem está lá também, largado à céu aberto, o BACON! Não poderíamos deixar de incluir bacon no nosso sanduba, pois bem, pedimos o bacon.

No final a combinação ficou o burger ao ponto, pão com gergelin, alface, tomate, queijo cheddar e bacon. Pedimos também a porção de fritas, R$ 9,00, não esqueça de pedir para acompanhar os molhos, se você não pedir, eles não colocam, e o molho vermelho vale bem à pena, é tipo um chilli mais leve!

05

A apresentação do burger não é das melhores e assim que retiramos o papel que envolve o sanduba percebemos o pão frio, broxante. Talvez seja pelo processo de atendimento, as coisas ficam muito tempo esperando até servir, o hambúrguer realmente chegou frio pra gente.

06

08

O ponto forte do quitute com certeza é a carne, saborosa e feita no carvão, fica com gostinho defumado bem legal, chama a atenção, veio ao ponto, mas por estar meio fria, estava pouco suculenta.

O bacon estava quase a ponto de ser retirado do lanche, como ele fica ali largado ao vento, claro que perdeu a crocância, o calor, a textura, só não perdeu o sabor por que, né? É bacon. O queijo quase não tem gosto de nada, por ser processado. As batatas estavam um pouco murchas.

Galera, no fim das contas, a experiência não foi muito positiva, o ambiente até que é descontraído, mas a nossa experiência de sexta-feira à noite foi cansativa e a recompensa não foi tão boa.

Ah, depois de tudo, enfrentamos a fila novamente para pedir uma cerveja, já que as opções ali são variadas e com coisas bem diferentes. Pedimos a dinamarquesa Mikeller APA, com aroma de maracujá.

09

10

Olha, realmente não demos sorte neste dia, somos bem fãs de cervejas diferentes e gostamos de provar de tudo, mas essa foi uma das piores cervejas provadas na vida. Ok, o Vinil não tem culpa disso, pelo menos a cerveja estava gelada, mas caríssima! R$ 25,00 a long neck.

É isso, fizemos um teste de fogo numa sexta-feira à noite de calor e o Vinil não passou! Mas o lugar tem o seu charme, quem sabe num dia mais tranquilo a experiência seja melhor.

► Pontos fortes: sabor da carne e relação custo x benefício do hambúrguer e porção.
► Pontos fracos: experiência complicada quando estiver cheio, lugar apertado, hambúrguer frio, bacon frio, pão frio, tudo estranho.

Vinil Burger
Rua Padre Carvalho, 18 – Pinheiros – São Paulo – SP
www.vinilburger.com.br
Facebook

Fabrício Schibuola

Fundador do blog Hambúrguer Perfeito, filho do Nelson e da Lília e irmão do Felipe. Publicitário, designer, "marketeiro", corintiano, paulistano com um pé no interior, da música e da cerveja.

16 comentários

  • Regina disse:

    eu estudo pertinho do Vinil e sempre passo lá babando na “vitrine” de hamburguer rs.
    quando fui, chegamos num horário que ainda tava vazio… a carne é a melhor que eu já comi  
    mas também já desisti dele numa sexta, devido à lotação.

  • Luciano Braz disse:

    Eu estava para ir no Vinil, mas acabo de desistir! Com todos estes pontos contra, não dá para arriscar. Pena, parecia ser um lugar interessante.

  • Gourmet San disse:

    Fui lá no começo e depois recentemente, realmente eles caíram muito e o sistema tinha tudo para ser bom mas ficou tosco. Era um lugar para receber poucos clientes, mas eles recebem muitos e fica tosco. Fui num almoço durante a semana, vazio e tranquilo, mas é isso mesmo, cheio não funciona e o hambúrguer é bem mediano e as batatas toscas

  • Adriano disse:

    Não sei se eu que to ficando velho, mas antes de decidir a hamburgueria já evito os lugares com muita fila, tipo o Z Deli, Meats, etc. Até no Seu Oswaldo eu tento ir em horários mais alternativos. Lá pelo menos é certeza de estar sempre igual, e sempre excelente.

  • Jose Pedro disse:

    Realmente vc deveria se limitar a comentar de hamburguer pq falar mal da Mikkeller é de uma falta de conhecimento absurda! Quais são seus argumentos para justificar seu comentário? Pra começar que a cerveja que vc tomou era uma BRETT apa, diferente de uma apa comum. Alias vc sabe oque é uma apa? Triste ver que existem pessoas que acompanham esses sites ignorantes

    • Fala, José!
      Cara, eu não falei mal da Mikkeller, eu simplesmente disse que não gostei. Isso pode, né? Não falei do processo de como ela é feita, dos ingredientes escolhidos nem nada, simplesmente falei do meu gosto pessoal, a cerveja realmente não agradou meu paladar. APA sempre foi American Pale Ale, certo? Mas é divertido acompanhar alguns comentários que usam da ignorância para chamar os outros de ignorantes. Mas me perdoa, cara, da próxima eu vou tentar gostar mais dessa cerveja, hehehe!

      Abs.

      • Tiago Celestino disse:

        hahahaah tipo fã de Justin Bieber esse dai @Fabrício. hahahaha

      • Tiago Celestino disse:

        hahahaah tipo fã de Justin Bieber esse dai @Fabrício. hahahaha

      • Miguel disse:

        Vc conseguiu!! Já comi mais de 30 vezes no vinil e NUNCA veio um hambúrguer frio, pensa se tem fila é pq as pessoas estão esperando, como pode ter vindo frio? -achei muito tendencioso o seu comentário do vinil, se tem filas quase todos os dias com certeza é pq é bom e agrada a muita gente, esse lugar que vc descreve com certeza não se sustentaria numa cidade como São Paulo…. pra mim o tosco é vc. Kkkkkkkkk

  • Leonardo disse:

    Difícil achar um hamburguer que esteja completamente perfeito aqui em SP.
    Já fui em inúmeras hamburguerias e se uma coisa vai bem a outra desanda, se o hamburguer é correto com suas variações respeitadas, os ingredientes não condizem e vice-versa!
    Em umas 2 hamburguerias de renome, falam que usam chedder ingles quando nã verdade não usam.
    Lanche de pastrami com queijo, abominação cultural, que não deixem a Katz em NY saber dessa horrorosa combinação que o Zdeli apresenta, apesar de também entregarem o lanche tradicional que considero muito bom!
    A verdade é que nunca fui no Vinil, mas me cheira mais uma moda cult de pessoas que não entendem absolutamente nada do que estão fazendo.
    Pela antepenúltima foto, fica claro, pão de baixo parecendo o titanic de tanto suco de carne, erro grotesto, basta dar uma tostada no pão para que o liquido não penetre.

    Enfim…a moda agora é essa, empurrar hamburguer de qualquer jeito e cobrar caro por um produto mal finalizado e mal feito!

  • Maria disse:

    Meu deusssssss como pode alguém não gostar desse lugar? Pra mim é o melhor hambúrguer de são paulo! E olha que sou uma amante desse prato, morei por um tempo nos eua e nesse quesito os gringos são especialista. Nem por lá comi um lanche tão gostoso! E nem comento sobre as batatas, que são ótimas também.
    Enfim, nunca vi alguém reclamar de lá, essa é a primeira vez

  • Maluko Doydo disse:

    Já fui em várias hamburguerias aqui em São Paulo, esse é um dos poucos lugares que consegue fazer hamburguer tão bem quanto os americanos.

    Talvez o maior problema do Vinil seja o espaço, se tivesse um pouco mais de mesas, quem sabe esse povo acostumado a comer no Outback ou no Madero, pare de ficar reclamando do espaço.

  • Hugo disse:

    Infelizmente você deu azar neste dia, nunca fui atendido assim… É uma boa hamburgueria que frequento de vez em quando e não tenho do que reclamar do preço ou qualidade, sexta feira a noite ou é balada ou bar, jamais uma hamburgueria minúscula como a vinil, nem pra beber! Sugiro que volte em um sábado a tarde ou outro dia mais tranquilo para uma melhor análise.

  • Luca disse:

    Realmente a carne é boa, mas o resto deixa MUITO a desejar. Quando fomos estávamos em dois casais LOUCOS por condimentos e percebemos que o Catchup deles, apesar de vir na embalagem do Heinz, era desses bem baratos de feira. Achamos isso um absurdo! Testamos a mostarda….IDEM! Enganar o consumidor dessa maneira é muita sacanagem. Vinil nunca mais…

  • Snail disse:

    Oi Fabrício! O post é antigo mas vou comentar mesmo assim. Eu não sou muito conhecedora de hambúrguer, mas o Vinil foi o lugar que me levou pra esse mundo e que me fez começar a fazer burgers em casa então tenho bastante carinho por eles, hehe. Vou fazer um review em defesa deles!

    Primeiramente, eu acho a filial da Vila Butantan muito melhor. Menos gente, ambiente melhor, logística melhor, molhos self service, enfim, recomendo mais.

    – A carne é excelente, mas precisa cuidar com o ponto: o ao ponto deles é meio cru ainda e o bem passado não me agrada então -dica- dá pra pedir “ao ponto pra bem”, mesmo assim o meinho ainda pode estar meio frio, mas só o meinho.
    – Bacon e o relish ficam lá parados mesmo, mas poxa, o Vinil tem esse ar meio fast food, despretensioso; em meio a tanta hamburgueria gourmet (preguiça), eu acho que eles estão num meio termo muito bom entre o trash e o gourmet-preguiça.
    -Enfim, o bacon eu acho o oposto do post. Eu acho ele até meio duro de mais haha, mas não deixo de pedir nunca. O relish a mesma coisa, você errou em não pedir; foda-se a aparência! Os hambúrguers do Vinil sempre ficam com essa cara meio maçaroca e as coisas se fundem todas no lanche de uma forma compacta, muito saborosa e suculenta, e o relish é um dos responsáveis por isso.
    -O queijo se faz presente sim, e derrete; daquele jeito de queijo processado, mas derrete. Uma vez pedi o double deles (recomendo) e foi queijo pra todo lado, deus amado, muito bom.

    A batata é aquelas com casca e vem encharcada de óleo, pra quem gosta é show. Eu gosto mas fico meio morrendo depois. Costumo dividir uma porção com quem está comigo.
    Refrigerante/cerveja/suco: assalto, não comprem.

    Só pra finalizar, a maionese verde e o ketchup com alecrim é open (na filial Butantã é serlf-service) e nenhum dos dois tem cara assim de muito artesanal, mas eu particularmente gosto muito! E miguelar maionese verde em hamburgueria é patético; quando vem só um copinho ou pior, como ingrediente do lanche.

    Deixo de brinde a sugestão de provar a casquinha (apenas no Butantã). 5$ e eles fazem rodízio entre 2 sabores (talvez surja mais, mas nunca vi): caramelo e avelã. Esquece o creme/mista e pega uma dessas. 10/10.

    Então é isso, eu gosto muito de lá porque tenho preguiça de hamburgueria gourmet demais. Daquelas que você precisa decidir entre o lanche que tem queijo brie e cogumelos e o que tem sei lá, cheddar brasileiro e ~~~~blend de carnes do chef~~~~; e aí você come e não sente muito gosto de nada porque eles colocam um pingo de cada ingrediente e bom, cobram mais caro que o Vinil (24$ hoje, preço ok).
    E SÓ TEM UMA OPÇÃO PRATICAMENTE. Tem coisa mais prática? Eu sempre peço com tudo!

    Valeu!

  • Fernando disse:

    Olha!

    De todos os ditos melhores hambúrgueres, o Vinil é meu preferido!
    Olha que sou chato e sei do que estou falando!

    Sugiro experimentar o Vinil do Butantã ao invés de pinheiros, eu não iria com hamburhueria vazia mas tb não tão lotada!

    E sugiro realmente não deixar de pedir a cebola caramelizada! Sua opinião visual não se confirma!!

    Existem outros hamburgueres com pão amanteigado, mas, esse é melhor!

    A única questão que tenho é que pelo lanche ser embrulhado, fica tudo meio úmido, mas, ainda não pedi la um sem embrulhar para comparar se essa umidade não é o grande diferencial!!

    Haja visto que Tradi, Bullguer, holyburguer não vem embrulhados !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.